( 35 Votes )

Biografia de Wilhelm Wundt

Biografia de Wilhelm Wundt

   Wilhelm Wundt passou os anos iniciais da sua vida nas pequenas vilas das proximidades de Mannheim, na Alemanha. Teve uma infância solitária (seu irmão mais velho ficava em um internato) e a sua única diversão era ficar sonhando em um dia se tornar um escritor famoso. Seu rendimento escolar foi baixo nos aos iniciais. Seu pai era pastor, mas Wundt não tinha boas recordações dele, embora tanto o pai como a mãe, fossem descritos como pessoas sociáveis. Lembrava-se de um dia em que o pai fora visitar a escola e dera-lhe uma bofetada no rosto por não prestar atenção ao professor. No início do segundo ano, a responsabilidade pela sua educação ficou a cargo de um assistente do pai, um jovem vigário por quem o garoto acabou criando uma forte afeição. Quando o pároco foi transferido para uma cidade vizinha, Wundt ficou tão chateado que foi autorizado a viver com ele até os 13 anos.


   A família de Wundt era dotada de forte tradição acadêmica, com ancestrais intelectuais renomados em praticamente todas as áreas. Entretanto parecia que essa extensa linhagem seria interrompida com o jovem Wundt. Ele passava a maior parte do tempo sonhando em vez de estudar, e fora reprovado no primeiro ano do Gimnasium. Sua relação com os colegas de classe não era muito amistosa e ele era ridicularizado pelos professores. Aos poucos, no entanto, aprendeu a controlar seus devaneios, tornando-se relativamente popular. Embora nunca houvesse apreciado a escola, esforçou-se para desenvolver seus interesses e a sua capacidade intelectual. Quando se formou, com 19 anos, estava preparado para prosseguir os estudos universitários.



   Decidiu tornar-se médico por duas razões: desejava trabalhar com a ciência e ganhar a vida. Frequentou a escola de medicina das universidades de Tubingen e de Heidelberg, nesta tendo cursado anatomia, fisiologia, física, medicina e química. No decorrer do curso, percebeu não ter tanta inclinação para a medicina e decidiu especializar-se em fisiologia


    Depois de estudar um semestre na University of Berlin com o importante fisiologista Johannes Muller, retornou à University of Heidelberg e completou o doutorado em 1855. Lecionou fisiologia em Heidelberg, de 1857 a 1864, e foi indicado para ser assistente de laboratório de Helmholtz. Wundt detestou a tarefa de dar orientações básicas aos estudantes no laboratório e deixou a função. Em 1864, foi promovido a professor adjunto e permaneceu em Heidelberg por mais dez anos.


   Estando envolvido na pesquisa em fisiologia, Wundt começou a conceber o estudo da psicologia como uma disciplina científica experimental independente. Primeiramente, sintetizou as idéias no livro intitulado Contributions to the theory of sensory perception, publicado em partes, entre 1858 e 1862. Descreveu suas experiências originais, realizadas em um laboratório improvisado em sua casa, e os métodos que considerava adequados para a nova psicologia, usando pela primeira vez o termo "psicologia experimental". Esse livro, juntamente com o Elements of Psychophysics (1860), de Fechner, é considerado marco literário do surgimento da nova ciência.


   No ano seguinte, Wundt publicou Lectures on the minds of men and animals (1863). Sua revisão cerca de 30 anos mais tarde, a tradução para o inglês e as seguidas reimpressões da obra após a morte de Wundt são indicadores da importância do livro, no qual Wundt abordou vários temas, como o tempo de reação e a psicofísica, que ocupariam a atenção dos psicólogos por vários anos.


   Em 1867, Wundt começou a ministrar um curso de psicologia fisiológica na Heidelberg, o primeiro curso formal dessa área no mundo. Suas aulas também produziram material para outro importante livro, Principles of physiological pychology (Principios da psicologia fisiológica), publicado em duas partes, em 1873 e 1874. Em 37 anos Wundt revisou o livro em seis edições, sendo a última publicada em 1911. Principles é, indubitavelmente, sua obra prima, na qual Wundt estabeleceu a psicologia como uma ciência laboratorial independente, com problemas e métodos de experimentação próprios.


   Por vários anos, as sucessivas edições de Principles of phisiological psychology serviram como base de experimentações para os psicólogos experimentais e de registro do progresso da psicologia. O termo "psicologia fisiológica" pode dar margem a interpretações equivocadas, já que naquela época o vocábulo "fisiológica" era sinônimo da palavra alemã que queria dizer "experimental". Na realidade, Wundt estava lecionando e escrevendo sobre a psicologia experimental e não sobre a psicologia fisiológica no sentido atual da palavra.


Wundt - Primeiro Laboratório de Psicologia

   Considerado o fundador da psicologia moderna Wilhelm Wundt, por ter criado, em 1879, o primeiro laboratório de psicologia na universidade de Leipzig, Alemanha. A psicologia se tornou uma ciência independente da filosofia graças a Wundt, nos finais do século XIX. Foi a partir deste acontecimento que se desenvolveram de forma sistemática as investigações em psicologia, através de vários autores que a esta ciência se dedicaram, construindo múltiplas escolas e teorias.


    Wilhelm Wundt criou na Alemanha o primeiro laboratório de pesquisa em Psicologia: A ambição de Wundt era estabelecer uma identidade independente para a Psicologia. Ele acreditava que os psicólogos deveriam investigar ‘os processos elementares da consciência humana', suas combinações, relações e interações. Muito apropriadamente, o método de Wundt é em geral chamado de estruturalismo...

Veja o artigo "Wundt - Primeiro Laboratório de Psicologia" completo





Artigos Relacionados