( 50 Votes )

Condicionamento Operante

condicionamento operante

   O Condicionamento Operante - Várias gerações de estudantes de psicologia estudaram o experimentos de Skinner sobre o condicionamento operante e como diferem do comportamento respondente investigado por Pavov. Na situação de condicionamento pavloviano, um estímulo conhecido é parado com outro estímulo sob condições de reforço. A resposta comportamental é eliciada por um estímulo observável e Skinner chamou-a de comportamento respondente.
  

   O comportamento operante ocorre sem qualquer estímulo antecedente externo observável. A resposta do organismo parace ser espontânea, ou seja, não realcionada com qualquer estímulo observável conhecido. Isso não significa que não haja um estímulo que elicite a resposta, mas que não é detectado quando ocorre a resposta. No entanto, na visão do observador, não existe estímulo porque ele não aplicou e não consegue vê-lo.


   Outra diferença entre o comportamento respondente e o operante é que este opera no ambiente do organismo, enquanto o outro, não. O cão treinado do laboratório de Pavlov não fazia outra coisa senão reagir (nesse caso, salivar) quando o pesquisador apresentava-lhe o estímulo (a comida). O cão não era capaz de atuar ou si só para assegurar o estímulo. No entanto, o comportamento operante do rato na caixa de Skinner é instrumental em assegurar o estímulo (a comida). Quando o rato pressiona a barra, eceita comida, e somente a recebe se pressionar a barra, portanto, ele opera sobre o ambiente. Skinner acreditava no comportamento operante como sendo o melhor representante da situação típica de apendizagem. Na maioria das vezes, o comportamento é o tipo operante, portanto, a melhor abordagem científica para seu estudo são os processos de condicionamento e extinção.
  

   A demonstração da clássica experiência da caixa de Skinner envolvia o ato de pressionar a barra, que fora construída de modo que controlasse as variáveis externas. Colocava-se um rato privado de comida dentro da caixa, ficando livre para explorar o ambiente. No curso dessa exploração, o rato pressionava uma lavanca ou uma barra, ativando um mecanismo que liberava uma bolinha de ração em uma bandeja. Depois de conseguir algumas bolinhas (os reforços), o condicionamento geralmente se estabelecia com rapidez. Observe que o comportamento do rato (pressionando a alavanca) atuou sobre o ambiente e assim serviu como instrumento para obtenção do alimento. A variável dependente é simples e direta: a taxa de respostas.


   Com base nessa experiência básica, Skinner derivou a sua lei da aquisição, que afirma que a força de um comportamento aumenta quando ele é seguido pela apresentação de um estímulo reforçador. Embora a prática seja importante para se estabelecer uma alta taxa de pressão à barra, a variável-chave é o reforço. A prática em si não aumenta a taxa de respostas; ela apenas proporciona a oportunidade de ocorrência do reforçamento adicional.
 

   A lei da aquisição de Skinner é diferente des visões de Thorndike e Hull sobre a aprendizagem. Skinner não lidava com as consequências do reforço, com as sensações do prazer/dor ou satisfação/insatisfação, como Hull. Enquanto os sistemas de Thorndike e Hull eram explicativos, o de Skinner era descritivo.


Condicionamento Operante Exemplos

Reforço positivo é a presentação de um estimulo agradável após um comportamento desejado aumentando a frequência do comportamento; por exemplo, se o pombo tocar a campainha recebe alimento suplementar.


Caso o aluno tiver boas notas recebe um elogio..


Reforço negativo nada mais é a remoção (negativo) de um evento desagradável após o comportamento desejado; isso fica explicado nos exemplos:


Se o rato puxar a alavanca deixa de levar choques eléctricos;

Se o doente tomar os comprimidos deixa de sentir dores.


Punição positiva se resume na apresentação de uma consequência desagradável após a realização de um comportamento não desejado.


Diminuição da frequência do comportamento..


Exemplo:


Se o rato sair do perímetro definido leva choque elétrico;

Se a criança faz birra leva uma repreensão.


Os aparelhos do condicionamento operante de Skinner

   Os aparelhos condicionantes de Skinner trouxeram-lhe fama entre os psicólogos, mas foi o "berço automático", aparelho para automatizar as tarefas de cuidar dos bebês, que lhe rendeu a notoriedade pública (Benjamin e Nielsen-Gammon, 1999). Quando Skinner e a esposa resolveram ter um segundo filho, ela disse que os dois primeiros anos do bebê requeriam muito trabalho; assim, Skinner inventou um ambiente mecanizado para aliviar as tarefas rotineiras dos pais. Embora fosse disponível comercialmente, o berço automático não obteve êxito. A filha de Skinner, driada nesse berço, aparentemente não apresentou efeitos negativos da experiência.

Veja artigo"Os aparelhos do condicionamento operante de Skinner" completo





Artigos Relacionados